Entrevista

Call me Maya entrevista: Michelle Alves, do Cabide Colorido

A primeira entrevista dessa série que quero fazer com muitos viajantes inspiradores foi com o Damon e a Jo, do Shut Up and Go (você pode ler clicando aqui) e agora é a vez de uma das minhas blogueiras/youtubers brasileiras favoritas: Michelle Alves, do Cabide Colorido.

Quando eu tinha uns 13 anos e já sabia que loguinho queria ver o mundo, uma das minhas primeiras ideias foi ser au pair. Por mais de um ano, Michelle viveu exatamente esse meu sonho lá no Colorado. Au Pair é praticamente uma babá de outro país. É um dos programas de intercâmbio mais em conta para meninas de 18 até 26 anos e existe em vários países, sendo os Estados Unidos o mais comum entre as brasileiras.

No canal do Cabide Colorido, Michelle compartilhou cada momento dessa experiência, além de todas as outras coisas com as quais ela se identifica. Durante o programa de Au Pair, ela fez várias viagens para diversos estados americanos e até uma viagem pra fora do país, direto pra Europa. Tudo tá bem documentado lá no Youtube e ela definitivamente serve de inspiração pra muita gente por aí. Hoje, ela está de volta ao Brasil para terminar a faculdade de Marketing e trabalha com mídias sociais, além de manter seu blog.

A Mi foi super legal e bateu um papo comigo sobre a experiência do intercâmbio. Mais uma vez, eu quis perguntar coisas que ainda não haviam sido respondidas no canal dela, então pra todo tipo de informação geral sobre o programa, dia a dia e gostos pessoais dela, é só clicar aqui e fazer uma maratona de vídeos do Cabide Colorido. A entrevista você confere abaixo:

Quando e como foi o momento em que você decidiu que queria fazer intercâmbio especificamente como au pair? Você considerou outros programas e países antes?
Eu só sabia que queria sair do país e me aventurar, aí minha amiga me falou do au pair, eu fechei e escolhi os EUA por “conhecer” um pouco mais do que os outros países que eram oferecidos. E é baratoooo né, melhor custo + beneficio de todos!

Você acha que a experiência como au pair em si, muito além de ter vivido em outro país, pode te ajudar aqui no Brasil? O que você aprendeu como au pair que pode aplicar na profissão que quer seguir?
Bom, no au pair eu levava uma vida de irmã mais velha né, aprendi muito a ter paciencia, lidar com crianças, melhorar o inglês e acima de tudo, conviver com uma cultura diferente da minha! Que na minha opinião, foi o maior desafio do intercâmbio.

Eu trabalhei em cruzeiros e vi muita gente indo trabalhar pensando que ia fazer turismo pelos portos quando na verdade tinha períodos que ficávamos dias sem sair, só trabalhando, o que acaba fazendo com que algumas pessoas desistissem. O que você acha que a pessoa precisa ter em mente antes de embarcar num intercâmbio de trabalho e quais são as coisas que as pessoas mais deduzem sobre au pair que não é verdade?
No au pair acontece o mesmo, as meninas acham que é férias, Disney, Califórnia e esquecem das 455 fraldas que terão que trocar, os 600 choros que vão ter que escutar etc. Au pair life não é glamourosa, você só conseguirá viajar e fazer tudo que quer se você administrar seu tempo e dinheiro! Familias legais existem sim, mas vai depender muito de você também, ser compreensível e respeitar o proximo em primeiro lugar.

Quais itens estavam na sua mala quando você foi para os EUA e voltaram com você para o Brasil?
Algumas makes nacionais que eu curto (tipo sombra da Vult), calça jeans porque eu tenho muito quadril e lá não achava nenhuma e leite de rosas! hahahaha

Como você estudava e praticava inglês antes de ir? Quais suas dicas de estudo de idiomas para quem ainda não pode bancar um intercâmbio e praticar fora?
Eu estudava em casa com filmes, séries e músicas. Prestava atenção na letra, lia as coisas em inglês, anotava palavras novas… isso ajuda mais do que a gente pensa! Apps como o Duolingo são ótimos também =)

Quais eram os pré-conceitos que você tinha sobre os americanos e o que se concretizou e quais foram quebrados?
Que todos eram gordos e Applemaníacos! hahaha Eles são bem legais, muita gente vive uma vida saudável e alguns são bem controlados quando o assunto é consumo. Eu não achei eles tão frios como as pessoas falam, por mais que eles não te abracem o tempo todo, eles fazem pequenas coisas no dia a dia (como trazer um Starbucks pra você do nada) que fazem a diferença.

Sei que muita gente sonha em fazer intercâmbio ou simplesmente viajar o mundo e a ideia de todas as entrevistas aqui do blog é lembrar que tudo é possível, de verdade. Se você estiver disposto a batalhar muito, tudo vai dar certo.

Vocês já conheciam a Michelle? Ela também é super ativa no Instagram e compartilha todas suas viagens por lá, é só seguir aqui.

Call me Maya entrevista: Damon e Jo

Com a minha primeira viagem pra fora, veio também minha necessidade de conhecer pessoas que estivessem fazendo as mesmas coisas que eu. As redes sociais são minhas melhores amigas desde que saí de casa e não foi difícil encontrar pessoas incríveis no Instagram e principalmente no Youtube. Numa dessas pesquisas, encontrei o canal do Damon e da Jo, dois amigos americanos que vlogam sobre suas viagens pelo mundo.

O que mais chamou minha atenção no canal deles, muito além das viagens, foram as línguas que eles estão aprendendo e o fato da Jo ser brasileira, mas morar nos EUA desde muito pequenininha. Eles são super apaixonados pelo mundo e pelas diferentes culturas que temos espalhadas por aí e também escrevem sobre todas suas experiências no blog Shut Up and Go.

Depois de meses acompanhando o canal deles, criei meu blog e quando comecei meu brainstorm pra trazer coisas novas, mas ainda relacionadas a viagens, pra cá, imediatamente pensei em entrevistas incríveis com as pessoas que me inspiram a continuar vendo o mundo. Essa é a primeira de uma série de entrevistas com viajantes que acompanho e em breve teremos outra muito especial com uma youtuber que adoro.

Espero que gostem do papo com a Jo, traduzido do inglês para o português.

Depois de viver nesses lugares, eu notei como visitar um lugar por uma ou duas semanas é uma coisa, mas realmente morar lá é totalmente diferente. Onde, dos lugares que vocês já conheceram, você acha que você se adaptaria melhor à rotina diária e por quê?

Nenhum lugar é “fácil” de se adaptar, sempre existem pequenas coisas que aparecem e te fazem pensar “uau, eles fazem isso aqui?” ou até comparar sua cultura àquela que você está vivenciando. O incrível é que quanto mais você viaja, menos você compara e absorve mais. Depois de um tempo você se adapta rapidamente a qualquer lugar.

Como vocês escolheram o primeiro lugar para o qual viajaram juntos? Como, num geral, vocês decidem para onde ir? Existe um processo nisso?

Nós escolhemos viajar para Montreal na primeira vez porque era o lugar fora do país mais próximo e barato já que estávamos no campus da faculdade em Nova Iorque. Nós fomos por 5 dias durante o recesso de primavera e pagamos $300 por tudo. Todos nossos amigos se recusaram a ir porque queriam ter férias em Miami enquanto nós só queríamos viajar e conhecer novas coisas. Não existe um processo para decidir onde ir, nós geralmente vamos onde for mais barato ou se estamos aprendendo uma língua, então vamos onde ela é falada.

Vocês estão constantemente mostrando no seu canal como é fácil viajar com pouco dinheiro se você estiver disposto a abrir mão de luxo. É algo que vem naturalmente pra vocês ou vocês precisaram se ajustar e aprender a gastar menos dinheiro durante os anos? Qual a decisão mais difícil que vocês já precisaram fazer para bancar uma viagem?

Como nós dois viemos de famílias que não são ricas de nenhuma forma, nós dois valorizamos cada dólar. Nós somos bem pão duros e gostamos de poupar dinheiro com o que for possível. Eu diria que é natural não gastar $209358230598235 numa ida ao shopping ou num jantar. Nós acreditamos em qualidade, não quantidade, então às vezes extrapolamos, mas em coisas que são importantes e continuarão sendo com o decorrer do tempo. A decisão mais difícil ao viajar foi saber que tínhamos apenas pouquíssimo dinheiro pra sobreviver, e que teríamos um débito quando voltássemos pra casa e teríamos que encontrar um emprego pra pagar aquilo. Sempre funcionou, apesar de tudo, nós sempre lutamos muito pelo que queremos.

Se você pudesse começar uma nova nação com as melhores coisas dos países para os quais vocês viajaram, como seria essa nação?

O país teria o romance e a personalidade chic da França, massa e pizza da Itália, a energia e senso de humor brasileiro, a mente aberta da Alemanha, especificamente de Berlin, cataratas do Equador, música espanhola, comidas baratas de Portugal, florestas da Costa Rica, praias mexicanas e o espírito americano.

Vocês têm uma rotina antes e depois de uma viagem? Qual a primeira coisa que vocês fazem quando chegam num lugar e quando voltam pra casa?

Nós temos uma rotina de fazer as malas no último minuto, haha! Nós também fazemos uma pesquisa antes de chegar em países diferentes, especialmente se nós não vamos ter Wifi quando chegarmos. Nós gostamos de explorar cidades à pé ou com transporte público pra entender a geografia e então começamos a falar com estranhos no Facebook ou Couchsurfing pra marcarmos encontros e termos conselhos de pessoas locais. Quando chegamos em casa, nós geralmente temos milhões de ideias de posts pra escrever e constantemente vemos as fotos e vídeos da viagem e rimos de como loucos e jovens nós somos pra viver a vida tão plenamente. Nós somos muito gratos por não haver arrependimentos.

Último mas não menos importante: qual o maior conselho sobre viagens que alguém já te deu e qual seu conselho pra pessoas que ainda estão planejando sua primeira viagem pra fora?

“Você nunca vai saber a não ser que vá” foi um conselho que nós dois ouvimos de pessoas diferentes nas nossas vidas. Nosso conselho pra alguém planejando sua primeira viagem é “confie em si mesmo, cale a boca e vá”.

Jo foi uma querida nas respostas e fiquei muito feliz com o resultado. Sei que muitas das questões mais básicas não foram respondidas aqui, mas eles já têm um canal cheio de dicas, perguntas e respostas e tentei não repetir o que pode ser respondido através dos vídeos deles 🙂 Conheça o canal clicando aqui e siga os dois no Instagram aqui.